NOVEMBRO 9, de Colleen Hoover

Diferente de muitos, minha primeira experiência lendo Colleen Hoover não fez com que eu me apaixonasse pelo trabalho da autora. Porém, isso não me impediu de dar uma segunda chance aos seus livros. Quando Novembro, 9 foi lançado - seguido de um rebuliço já esperado, é claro -, li a sinopse, me interessei e sabia que era tudo ou nada: eu lia Hoover agora ou simplesmente deixava para lá. Como estou escrevendo esta resenha, fica óbvio que optei por ler. 
No dia de sua mudança de Los Angeles para Nova York, Fallon conhece Ben, um aspirante a escritor. A química instantânea entre os dois faz com que passem o dia inteiro juntos - a vida atribulada de Fallon se torna uma grande inspiração para o romance que Ben pretende escrever. A mudança de Fallon é inevitável, mas eles prometem se encontrar todo ano, sempre no mesmo dia. Até que Fallon começa a suspeitar que o conto de fadas do qual faz parte pode ser uma fabricação de Ben em nome do enredo perfeito. Será que o relacionamento de Ben com Fallon, e o livro que nasce dele, pode ser considerado uma história de amor mesmo se terminar em corações partidos? 
O início do livro é genial. De uma narrativa fluída e envolvente, foi impossível não me sentir tragada pela história, prometendo a mim mesma parar de ler ao final da página, mas seguindo para o próximo capítulo assim que a viro. A narração diverge, ora entre Fallon, ora entre Ben, mas não é isso que torna a primeira parte do livro - o primeiro 9 de Novembro - tão interessante. Os personagens realmente têm química. Seus diálogos são divertidos e simplesmente instigam o leitor a querer saber até onde tais diálogos os levarão, o que o destino reserva para os dois ou o que eles querem para si.

O livro segue dividido entre todos os 9 de Novembros vividos pelos dois. Eu achei que a autora fosse optar por relatar o ano de cada um separadamente, mas não foi isso o que aconteceu e esse é um ponto sensacional da história. Afinal, não é como Fallon ou Ben passaram o último ano que interessa, e sim, o que Fallon e Ben farão nas 24 horas do 9 de Novembro. E quanta coisa pode acontecer em somente 24 horas! De uma coisa o leitor pode ter certeza: cada ano será mais intenso do que outro. Isso acontece devido as tramas pessoais de cada personagem, os mau entendimentos oriundos disso e a diferença que um ano pode fazer na vida de alguém. 

Estava tudo indo muito bem, não torcer para o casal e ansiar pelos acontecimentos do próximo 9 de Novembro era missão impossível, até a revelação de um fato. A partir daí, tudo muda e o que antes era romance, dá lugar ao drama. Estes, quando balanceados, podem ser uma ótima combinação. No entanto, o drama acabou por se sobrepor ao romance. Por muitas vezes, achei dramático e forçado o rumo pelo qual a história estava sendo conduzida. É claro que reconheço que essa opinião é bem particular. Se você gosta de revelações bombásticas como as de capítulo final de novela, provavelmente irá gostar. 

Temos ter a oportunidade de ler um pouco do livro de Ben e, para minha decepção, era como estar lendo mais um capítulo narrado por ele. Embora o livro seja a concepção de Ben sobre os acontecimentos, eu esperava que houvesse, pelo menos, uma diferença na escrita. Não tem como o modo com que você pensa ser exatamente igual ao modo com que você escreve, tem? 

Novembro, 9 é um livro que recomendo aos fãs de Young Adult e que conseguiu me entreter muito bem. Não sei se pretendo ler outro livro de Colleen Hoover em breve, mas eu certamente preferiria ter conhecido seu trabalho através desse livro. Quer saber? Eu gostei. Essa ideia de "só vamos nos ver em 9 de Novembro do ano que vem" deixa qualquer pessoa curiosa louca. E bem, eu sou uma pessoa bastante curiosa. 

Título: Novembro, 9
Autor(a): Colleen Hoover
Editora: Galera Record
Número de páginas: 350
Nota: 4/5

Share:

0 pessoas devoraram