Quando li a sinopse de Perdidos por aí, antes mesmo do livro ser lançado no Brasil, fiquei com uma vontade enorme de ler a estreia literária de Adi Alsaid. O motivo é simples, fácil e pode ser resumido em uma única palavra: roadtrip. Caso ainda não tenha mencionado aqui no blog, eu sou apaixonada por histórias que envolvam roadtrips, seja no cinema ou na literatura, não importa, é um tema que sempre consegue me deixar muito entretida. Nunca sabemos se aquele que estiver no comando seguirá em frente ou virará na próxima à direita. A imprevisibilidade do tema é o que o torna incrível. 
Quatro jovens ao redor do país têm apenas uma coisa em comum: uma garota chamada Leila. Ela entra na vida de cada um com seu carro absurdamente vermelho no momento em que eles mais precisam de alguém. 
Entre eles está Hudson, mecânico em uma cidadezinha, que está disposto a jogar fora seus sonhos de amor verdadeiro. E Bree, uma garota que fugiu de casa e curte todas as terças-feiras - além de algumas transgressões ao longo do caminho. Elliot acredita em finais felizes... até sua vida sair totalmente do script. Enquanto isso, Sonia pensa que, quando perdeu o namorado, também perdeu a capacidade de amar. 
Hudson, Bree, Elliot e Sonia encontram uma amiga em Leila. E, quando ela vai embora, a vida de cada um deles está transformada para sempre. Mas é durante sua própria jornada de quase sete mil quilômetros através do país que Leila descobre a verdade mais importante: às vezes, aquilo de que você mais precisa está exatamente no ponto onde começou. E talvez a única maneira de encontrar o que você está procurando seja se perder ao longo do caminho.
Adi Alsaid faz algo incrível e, ao meu ver, desafiador que é narrar uma história a partir de cinco pontos de vista diferentes, apresentando em cada um deles, uma Leila diferente, cuja única similaridade é seu desejo em ver a aurora boreal e a ótima ouvinte que é. A busca, de sete mil quilômetros, por si mesma a torna uma personagem envolvente e cujo leitor pode facilmente se identificar - afinal, quem nunca se sentiu perdido, que atire a primeira pedra. 

O restante dos personagens são diferentes tanto em personalidade quanto em objetivos. Achei todos bem interessantes, menos Bree. Sua parte foi a única que arrastei a leitura, a personagem não me cativou e embora a mesma estivesse tão perdida quanto os outros, sua irresponsabilidade me incomodou muito mais e não permitiu que eu me sensibilizasse muito por ela. 

Com uma narrativa leve e envolvente, o autor apresenta conflitos adolescentes nada novos, mas que ao mesmo tempo, estão muito longe de serem ultrapassados. Alsaid consegue transmitir a natureza delicada de cada conflito em diálogos confidentes e situações engraçadas, que toda roadtrip de verdade deve ter! Ao meu ver, sinto que ficou faltando algo, aquele quê a mais que não sabemos explicar, mas que faz com que nos apaixonemos por histórias. 

Perdidos por aí é o livro perfeito para as férias e que merece ser lido. Já quero ler mais Adi Alsaid!

Título: Perdidos por aí
Autor: Adi Alsaid
Número de páginas: 294
Editora: Verus
Nota do Como Devorar Livros: 4/5

2 Comentários

  1. Adorei a dica e a capa do livro também.
    Gosto de leituras leves, que a gente lê e depois fica relaxada rs
    as vezes é bom também para intercalar com leituras mais pesadas.

    Beijos
    Dri

    ResponderExcluir