Foi graças ao Studio Ghibli que conheci o trabalho de Diana Wynne Jones. Esse estúdio japonês de animação produziu, há alguns anos, a adaptação de uma das maiores obras da autora: O castelo animado. Ainda me lembro de quando fui assistir ao filme no cinema e me encantei pela história, que muito me era curiosa. Um tempo depois, descobri que o filme se tratava de uma adaptação do livro homônimo e desde então, sinto muita vontade de ler O castelo animado. Porém, como vocês podem perceber pelo título, essa resenha não é de O castelo animado, mas de O vitral encantado, novo livro da autora. Não pensei duas vezes em solicitar o livro a editora, pois se tratando de Diana Wynne Jones, eu não poderia esperar algo que não fosse encantador - como o próprio título diz. 

O avô de Andrew Hope é um dos maiores magos da região. Quando ele falece, deixa a Andrew, como herança, seu casarão, um campo de proteção da propriedade e mais do que isso: um vitral de muitas cores e aparentemente mágico. Ao conhecer Aidan Cain, que lhe pede refúgio, Andrew descobre um amigo. Juntos, desvendarão todo a magia e mistério que os cercam. 

O vitral encantado é, claramente, um livro voltado para o público infanto-juvenil. Dono de uma narrativa fácil, em terceira pessoa, e bem leve de se ler, como todo infanto-juvenil deve ser. Em consequência, pode ser lido por qualquer um. Estou bem desacostumada com livros do gênero e admito que fiquei esperando por aquele quê, aquele toque, voltado para um público com um pouco mais de idade (meu Deus! Não estou me chamando de velha!). 

O início não é muito empolgante e os acontecimentos levam um certo tempo para adquirir impacto - coisa que muito me incomodou por se tratar de um livro de fantasia, pois acredito que se for para unir fantasia e ação, esses precisam estar entrelaçados. Os personagens são bem apresentados e trabalhados, além de serem bem agradáveis. 

O livro caminhava bem, mas o final deixou a desejar - comparado com o ritmo que vinha tomando. Na verdade, a história terminou meio que do nada, vaga demais. Não sei se era essa a intenção da autora ou se a mesma pretendia escrever uma continuação, mas não conseguiu. 

A escrita de Diana Wynne Jonnes é de tirar o chapéu. Não é por acaso que a autora se tornou um dos maiores nomes da literatura britânica dos últimos anos. Sua mente devia ser pura magia, pois é esse sentimento que a autora passava para suas histórias. Apesar dos pesares, O vitral encantado carrega um ar - como posso dizer? - encantador, proporcionando ao seu leitor uma leitura agradável e cheia de magia. 

Título: O vitral encantado
Autor(a): Diana Wynne Jones
Número de páginas: 301
Editora: Galera Júnior
Nota do Como Devorar Livros: 3/5
Livro recebido em parceria com a editora

Deixe um comentário