Resenha: Os Herdeiros de Atlântida - Eduardo Spohr


Quem leu o último post sobre a Bienal do Livro no Rio, sabe que enfrentei aquela fila para conseguir um autógrafo do Eduardo Spohr. Até então, só havia lido o livro de estreia do autor, A Batalha do Apocalipse, que é, como muitos dizem, inovador para a literatura em língua portuguesa. Durante a Bienal, comprei o livro Os Herdeiros de Atlântica, primeiro livro da trilogia Filhos do Éden. O resultado foi melhor do que o esperado! Terminei o livro em menos de uma semana e querendo partir logo para a sequência (mas consegui resistir).

Há uma guerra no céu. O confronto civil entre o arcanjo Miguel e as tropas revolucionárias de seu irmão, Gabriel, devasta as sete camadas do paraíso. Com as legiões divididas, as fortalezas sitiadas, os generais estabeleceram um armistício na terra, uma trégua frágil e delicada, que pode desmoronar a qualquer instante. Enquanto os querubins se enfrentam num embate de sangue e espadas dois anjos são enviados ao mundo física com a tarefa de resgatar Kaira, uma capitã dos exércitos rebeldes, desparecida enquanto investigava uma suposta violação do tratado. A missão revelará tramas de uma conspiração milenar, uma plano que, se concluído, reverterá o equilíbrio de forças no céu e ameaçará toda vida humana na terra.Ao lado de Denyel, um ex-espião em busca de anistia, os celestiais partirão em uma jornada através de cidades, selvas e mares, enfrentarão demônios e deuses, numa trilha que os levará às ruínas da maior nação terrena anterior ao dilúvio - o reino perdido de Atlântida. 

Os Herdeiros de Atlântida é um livro dinâmico, diferente do anterior lançado por Spohr. A narrativa é de fácil compreensão e objetiva, o que facilita e muito o lado do leitor ao deparar-se com uma história complexa, porém envolvente e inovadora, como essa. 

O leitor acompanha os personagens em toda a sua jornada, cheia de aventuras e momentos em que a respiração ficou por um fio, tornando impossível não simpatizar com os mesmos e torcer pelos heróis - que, muitas vezes, se assemelham mais a anti-heróis. Kaira é uma forte e significante representação do feminino na história, se destacando, com todos os motivos que quem ler reconhecerá, como uma das melhores personagens. Os outros não ficam muito atrás, todos muito bem trabalhados e com o merecido espaço na história. Dica: fiquem de olho no Denyel! 

- Olhe à sua volta. Estamos sentados em uma esfera flutuante, girando em torno de nosso eixo. A Lua circula a Terra, o planeta contorna o Sol, o Sol se move através da galáxia. Agora, imagine o espaço afora, com seus milhões de estrelas, nascendo e morrendo, pulsando. Observe o dia e a noite, o ciclo das estações, as horas, os minutos. 

As descrições feita por Spohr são incríveis, não é difícil perceber que o autor não poupou esforços em estudar e pesquisar para passar ao leitor o cenário mais próximo da realidade. Adoro livros que me fazem viajar! Em Os Herdeiros de Atlântida, o leitor é levado na garupa dos personagens aos interiores do Brasil e do mundo, acrescentando a história um ar ainda maior de aventura. 

Embora se trate de um livro de fantasia, há momentos em que é difícil distinguir o real do fantasioso. O motivo é a proximidade entre os dois elementos: a fantasia ocorre no plano real. Em A Batalha do Apocalipse, o autor soube explorar ainda mais essa ligação. Para muitos pode parecer negativo, mas essa proximidade é um dos fatores que mais me agradou no livro. Eduardo Spohr escreveu uma fantasia com cenários comuns ao público, em que uma simples googlada resolvia o problema do leitor (caso ele desconhecesse).

Nada persiste por mais de um instante. Seja uma descarga cósmica ou um domingo de sol, todas as coisas estão em movimento. 

Acredito que um dos maiores elogios que se pode fazer sobre um livro é ressaltar o quanto o mesmo é envolvente. Pois saibam que o primeiro livro da trilogia Filhos do Éden consegue ser isso e muito mais! Merece reconhecimento e é muito fácil de imaginar uma história como essa, cheia de ação e momentos mais "cabeça", se tornando um filme ou até mesmo uma série. 

Os Herdeiros de Atlântida é um livro único. De fato, não existe nada em língua portuguesa que se assemelhe a essa obra. 


Título: Os Herdeiros de Atlântida
Autor: Eduardo Spohr
Número de páginas: 473
Editora: Verus
Nota do Como Devorar Livros: 5/5

Share:

0 pessoas devoraram