Resenha: Isla e o final feliz - Stephanie Perkins


Não acredito! Ela fez de novo!

Foi assim que me senti durante toda a minha leitura do último lançamento da escritora americana Stephanie PerkinsIsla e o final feliz. Quem acompanha o blog, sabe o quanto os livros dessa autora mexem comigo e entram facilmente na minha lista de favoritos. Quando eu, ingenuamente, acho que Perkins não pode escrever um romance tão jovem e arrebatador quanto Anna e o beijo francês, ela vem e lança Isla e o final feliz. E mais uma vez, me vejo presa a um romance envolvente na citê de l'amour

Desde seu primeiro ano na escola americana em Paris - ou simplesmente SOAP -, a tímida Isla é apaixonada pelo divertido Josh, um garoto que está uma série acima dela. Durante os anos, a interação entre os dois é quase nula. Isso, até ambos se encontrarem por acaso em uma lanchonete em Nova York. Josh está desenhando e Isla, que havia acabado de tirar os sisos, estava dopada de remédios. Naquele dia, algo começa. No último ano do Ensino Médio, os dois têm muito o que enfrentar e descobrir sobre si mesmos - o consolo é: pelo menos, não estão sozinhos. 
Qualquer semelhança com Anna e o beijo francês não é mera coincidência. Josh é o melhor amigo de St. Clair, o personagem principal de Anna e o beijo francês, além de ter tido uma participação importante nesse livro - o que torna Isla e o final feliz ainda mais legal! Você pensa que está familiarizado com o personagem e se dá conta que ele pode ser muito mais do que aquilo. Quem lê Anna, gosta de Josh. Quem lê Isla, gosta mais ainda. A história também se passa em um ambiente bastante familiar ao leitor que já é de casa: Paris. Se Paris é ou não uma cidade apaixonante, eu não sei. Mas que Perkins consegue transformá-la na cidade mais romântica do mundo, ah! Isso ela consegue. O melhor é que apesar das semelhanças, Isla ainda consegue ser um livro único. 

A personagem Isla é tímida, confusa e de baixa autoestima. No último ano do colégio, ela sente que não pertence a lugar nenhum e não acredita que seja realmente boa em algo. Gostei muito desse aspecto de Isla, seus constantes questionamentos a tornam tão real que a mesma pode ser um espelho do leitor. É muito interessante ver seu crescimento no decorrer das páginas, mesmo que um tanto quanto lento. 

Eu queria que o mundo nos engolisse aqui, agora, por inteiro, nesse exato momento. E é aí que a ficha cai, que me dou conta de que isso - isso - é se apaixonar. 

Stephanie Perkins, definitivamente, sabe o que é estar apaixonado. É esse sentimento, que a autora transmite em seus livros de uma forma tão doce e delicada, que torna suas histórias tão especiais e únicas. Os personagens se apaixonam um pelo outro e o leitor se apaixona pelo amor entre eles. Conseguir despertar um sentimento que não pode ser classificado como pura catarse não é fácil. Pelo mix de sentimentos que os livros de Perkins me despertam, ela é uma de minhas escritoras favoritas. 

Com uma narrativa leve e envolvente - ponha envolvente nisso! -, terminar Isla e o final feliz é uma questão de dias ou até mesmo, horas. A história é simples, sem muitas complexidades, um chick-lit puro e agradável. Os personagens secundários, como Kurt, melhor amigo de Isla, conseguem ser tão divertidos quanto o casal principal. O livro também carrega surpresas: participações especiais e sempre muito bem vindas dos personagens de outros livros da autora. 

Já cansei de falar, mas continuarei falando: a resenha de um livro que você gostou muito é a mais difícil das resenhas. Então, acabo caindo na tentação de fazer uma resenha menos técnica e mais pessoal. Portanto, se vocês me perguntarem se recomendo Isla e o final feliz, a minha resposta é sim. Se lerei o livro de novo, a minha resposta também é sim. 

A minha resposta será sempre sim por um motivo: os livros de Stephanie Perkins são uma máquina de gerar sorrisos. E eu adoro sorrisos. 

Título: Isla e o final feliz
Autor(a): Stephanie Perkins
Número de páginas: 304
Editora: Intrínseca
Nota do Como Devorar Livros: 5/5

Share:

2 pessoas devoraram

  1. Esse livro é mesmo um amor, Rebecca! <3
    Me decepcionei um pouco com Lola, mas acho que Paris trouxe todos os sentimentos bons de Anna e o Beijo Francês para esse livro e fez com que ele se tornasse mais um querido da minha estante. Foi ótimo conhecer melhor o Josh, sua arte, espírito aventureiro e, até mesmo seus problemas... A Isla, apesar de umas coisinhas aqui e ali, é alguém por quem torcer e se identificar também. Adorei a resenha, é realmente difícil falar de algo que gostamos muito. Os livros da Stephanie são maravilhosos... Só faltou ela fazer um sobre a Mer. </3 Beijo!
    Lis | umareescrita.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você, Lisete. ;-)
      Também me decepcionei um pouco com Lola, fui esperando muito do livro e não era tudo isso. Verdade! Os personagens e o cenário fazem desse livro um amorzinho na minha estante. Bem que ela podia fazer, né?

      Excluir