Nunca havia lido nada sobre zumbis e o máximo que fiz foi assistir a um ou outro filme que envolvesse a temática "apocalipse zumbi", motivo pelo qual comecei a leitura de Dead Island, de Mark Morris, cheia de expectativas, mesmo sabendo muito pouco sobre a história, exceto que é baseado em um jogo homônimo - e de jogos eu entendo menos ainda. A leitura não atingiu todas as minhas expectativas, mas é um must read para os interessados em livros do tema: zumbis, muito sangue e matança! 

A ilha de Banoi, um resort tropical no meio da Oceania, não oferece apenas belos dias de sol e todo conforto que um turista pode desejar. É lá também que Logan Carter, ex-estrela de futebol, e Purna, um jovem misteriosa de descendência aborígene, planejam esquecer o passado traumático e levar uma vida normal. Banoi também é o lugar onde Sam B., um rapper que lançou um grande sucesso e depois caiu no esquecimento, espera conseguir ressuscitar sua carreira com um show inesquecível, e onde Xian Mei, uma policial chinesa afastada de seu país sem qualquer chance de provar seu valor, trabalha como espiã para seu governo. Quando o paraíso se transforma em inferno e um vírus começa a trazer os mortos de volta à vida, uma infecção passa a se espalhar rapidamente entre turistas, e os caminhos dessas quatro pessoas tão diferentes se cruzam. 

A escrita de Mark Morris, que já escreveu livros da minha série favorita - Doctor Who -, é simples e objetiva. Sua objetividade se encaixou com o tipo de história que o autor desenvolveu. A capa, apesar de um pouco assustadora, porém muito bem trabalhada, consegue capitar o que se encontra entre as páginas. 

O livro conta com uma forte representação feminina: Purna é uma mulher forte e decidida, com quem simpatizei desde o início. Xian Mei é outra que me despertou bastante atenção, apesar de ser uma personagem que não se destaque tanto entre os demais, achei sua história muito interessante e passei a dedicar maior atenção a ela. Sam e Logan são personagens que me deixaram bastante indiferente: não me vi envolvida com eles - em especial com Logan, que conseguia me deixar com muita raiva por conta de seu temperamento nos primeiros capítulos. 

Dead Island não conta com um início lento. Pelo contrário, ele dá ao seu leitor o que o mesmo quer. É uma história de zumbis? Então, aqui vai uma. A leitura do prólogo por si só já é capaz de despertar uma imensa curiosidade no curiosidade. Apesar dos primeiros capítulos serem basicamente uma apresentação dos personagens, já podemos contar com a tão desejada ação. 

Apesar de todos os pontos positivos que a história oferece, acho que não me dou muito bem com histórias que envolvem zumbis - e elas não chegam a causar tanto medo -. Dead Island não superou as expectativas que tive antes de iniciar a leitura e fui ficando desanimada enquanto lia justamente por causa disso. Trata-se de um livro bom, mas acredito que não me insiro em seu público alvo, mesmo que esse não se encontre tão distante da minha zona de conforto quando o assunto é literatura. 

Como disse anteriormente, é um livro que precisa entrar em sua pilha de livros para ler caso se interesse pela temática e principalmente, se você já tiver jogado Dead Island e agora quer se aventurar por seu universo de modo diferente. 

Título: Dead Island
Autor: Mark Morris
Número de páginas: 280
Editora: Galera Record
Nota do Como Devorar Livros: 2/5

2 Comentários

  1. Olá Rebecca!
    Eu gosto de zumbis,muito sangue e matança, então acho que esse livro é pra mim!
    Amei sua estante ali no fundo! *-----------*

    http://maisumapaginalivros.blogspot.com.br/
    Mais Uma Página

    ResponderExcluir