Título: Doctor Who SHADA - A aventura perdida de Douglas Adams
Autor(a): Gareth Roberts
Número de páginas: 354
Editora: Suma de Letras
Nota do Como Devorar Livros: 5/5

"Clare, é que o universo é cheio de coisas maravilhosas e oportunidades fantásticas. E você tem que agarrá-las com ambas as mãos. E torcer para que nunca acabem."

Já expressei aqui no blog, em um post recente, o quanto a série Doctor Who tem captado a minha atenção ultimamente. Quando descobri que haviam lançado uma história inédita (e diga-se de passagem, perdida) do meu personagem favorito, pensei que não poderia haver coisa melhor senão as aventuras de Doctor nas páginas de um livro. E realmente, a sensação é tão boa quanto a de assistir a um episódio da série. Ou até melhor, se você gostar tanto de devorar livros como eu.

Chris Parsons é só mais um humano comum lutando contra o passar do tempo na cidade universitária de Cambridge e vivendo um relacionamento confuso com a jovem e bela Clare, que está prestes a partir para os Estados Unidos. Ele decide lhe preparar uma surpresa no último encontro dos dois e por isso, vai até a sala do agradável professor Chronotis para pegar uns livros emprestados. Em meio a bagunça de livros para tudo quanto é lado, ele vê uma cabine azul de polícia. Isso mesmo, uma cabine azul de polícia dentro da sala! As coisas ficam ainda mais estranhas quando ele acaba pegando, por engano, um livro diferente dos outros.

Este livro, acaba desencadeando uma série de estranhos acontecimentos. Afinal, não se trata de um livro qualquer e sim, o "Venerável e ancestral livro das leis de Gallifrey", do planeta dos Senhores do Tempo, Gallifrey. Esses acontecimentos resultam no aparecimento de Skagra e seu plano de uma mente universal, a chegada de Doctor, Romana e K-9, além do início de uma aventura pra lá de divertida.

Envolvente. Este é o melhor adjetivo que um livro pode receber em qualquer resenha e que se adapta perfeitamente a este livro. SHADA é envolvente da primeira até a última página, apresentando ao leitor um universo muito diferente daquele que ele está acostumado, apresenta os Senhores do Tempo, o planeta Gallifrey e quantas coisas estranhas podem ocorrer e se esconder em uma tarde entediante em Cambridge.

Para quem acompanha a série, é certamente um livro que deve ser lido. Para os que não acompanham, não há problema algum em ler. A narrativa se preocupa em ser bem precisa e explicar tudo até ao leitor sem conhecimento algum das aventuras de Doctor. Carregada de um humor que pouco se vê por aí e que se adapta muito bem aos personagens, o leitor facilmente se verá preso nas graças do velhinho agradável que é o professor Chronotis, no jeito extrovertido de Doctor, nas brincadeiras de K-9 e até quem sabe, nos planos maquiavélicos de Skagra, um vilão nada bacana!

Trata-se de um livro complexo, motivo pelo qual fica complicado escrever uma sinopse significativa ou resenhá-lo, mas que devido a sua leve narrativa, cujo intuito é realmente divertir e fazer com que o leitor compreenda o que está ocorrendo, torna tudo um pouco mais fácil. Não vi defeitos ou falhas. Talvez, porque me envolvi tanto com a história enquanto lia, que me prendi somente aos acontecimentos.

Doctor Who SHADA é um livro divertido, gostoso de se ler e que realmente merece ser lido. Mais não se preocupe! Esse você pode pegar por engano que não vai acontecer nadinha! Uma pena! Uma viagem entre o tempo e o espaço com o Doctor não seria nada mau, né?

Um Comentário

  1. Sabe que eu fico imaginando um livro doido em que você fica viajando e penso que me perderia pela complexidade, mas você passa tranquilidade ao leitor informando tudo isto e dizendo que mesmo assim a pessoa não perde nada ao ler o livro. Muito legal!

    Beijos

    Greice Negrini

    Blogando Livros
    www.amigasemulheres.com

    ResponderExcluir