Acho que nunca vi tantos livros ganhando adaptações cinematográficas como ultimamente. Divergente é mais um título nesta lista. Mais do que isso, se trata de uma distopia! Motivo pelo qual, não pude deixar de ler. 

Em uma Chicago futurista, os habitantes se dividem em cinco facções - Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição - com o objetivo de estabelecer a paz na sociedade. Beatrice nasceu na Abnegação, facção que presa o altruísmo. No entanto, ao prestar o teste de aptidão - teste aplicado a todos os cidadãos e que define a facção de cada um -, seu resultado é incerto. Beatrice é divergente. A partir daí, ela precisa se decidir entre a facção em que nasceu ou outra de sua preferência. Isso significa deixar tudo para trás. E qualquer passo, é sem volta. Mas o que significa ser divergente? 

Narrado por Beatrice, a narrativa nunca fica chata ou perde força. Até nos momentos em que senti que a autora não estava fazendo nada há não ser "encher linguiça", a narrativa fácil me prendia a história e eu simplesmente não conseguia ler só mais um capítulo, mas vários de uma vez só. 

É claro que, para adocicar, o romance também está presente nesta distopia. No entanto, não de uma forma descarada. Isto é, sem deixar de lado as questões mais importantes da história. Ameaço até mesmo dizer que o romance ficou em segundo plano.

Adorei a ideia de Veronica Roth em dividir a sociedade em facções com objetivos e crenças diferentes. Achei realmente incrível e talvez, tenha sido isso o que mais gostei no livro. Aqueles que acreditavam que a culpa da desumanidade estava na ignorância, criaram a Erudição; o egoísmo, a Abnegação; a mentira, a Franqueza; a covardia ou falta de coragem, a Audácia; a inimizade ou falsidade, a Amizade.

Em minha opinião, não é tão difícil imaginar uma sociedade dividida da seguinte forma se formos parar para pensar que a sociedade em si tem suas divisões, embora não tão explícitas como no caso do livro. 

Divergente é um ótimo livro, motivo pelo qual é mais uma das promessas dos diretores de cinema. Apesar de carregar uma história boa, teve momentos em que senti que a autora só sabia enrolar, pois não tinha absolutamente nada acontecendo. Se você está procurando por ação - Audácia curtiu isso! -, esta só vem ao final. Dependendo do ponto de vista, a espera vale a pena. Para mim, valeu. 

Se você gosta de distopias, este é certamente um livro que tem de entrar em sua lista. Cada página, vale a pena. 

Título: Divergente
Autor(a): Veronica Roth
Número de páginas: 504
Editora: Rocco
Nota do Como Devorar Livros: 4/5

5 Comentários

  1. Vi o filme hoje! Ameeeei <3
    Falei lá no blog sobre ele, se quiser dá uma olhada: http://contos-de-duas-doidas.blogspot.com.br/2014/04/divergente-nos-cinemas.html#comment-form
    Adorei sua resenha!
    bjss,
    Ana.

    ResponderExcluir
  2. Ah, cada dia mais percebo que não vou ler esse livro...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por que? Você não se interessa por distopias? :)

      Excluir
  3. não me interesso por livros deste gênero, mas a história é realmente interessante. estou curiosa para ver o filme, mas os livros não quero não ;x

    ResponderExcluir
  4. Oi adorei sua resenha...mas vc já leu o livro reverso escrito pelo autor Darlei... se trata de um livro arrebatador...ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos.....e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história.....acesse o link da livraria cultura e digite reverso...a capa do livro é linda ela traz o universo de fundo..abraços. www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?nitem..

    ResponderExcluir